“Somos o que fazemos repetidamente. Por isso, o mérito não está na ação e sim no hábito." ( Aristóteles )


terça-feira, 4 de junho de 2013

4 DE JUNHO - DIA MUNDIAL CONTRA A AGRESSÃO INFANTIL


Foto: 4 de Junho - Dia Mundial Contra a Agressão Infantil
Bater numa criança é fácil, considerando a proporção de tamanho; difícil é controlar os próprios impulsos covardes e educar pela orientação amorosa, firme e responsável, gerando seres equilibrados que vão aprendendo principalmente pelo exemplo, esse sim, o maior ensinamento.
Eu e meu marido criamos e educamos três filhos sem   bater e nossos filhos absorveram que nosso maior poder era o mental, o do controle de impulsos primários e da própria força física, em nome de um amor construtivo.
Veja que bacana o depoimento de Heloisa Schurmann, mãe de 3 filhos e avó.
" Hoje dia 4 de junho é o Dia Mundial Contra a Agressão Infantil
Uma das perguntas mais frequentes que me fazem é: seus filhos que cresceram a bordo brigavam muito convivendo em um pequeno espaço de 44 m2 durante os 10 anos no mar? (eles tinham 7,10 e 15 anos quando saímos na primeira viagem)
Intrigada com essa constante pergunta, resolvi perguntar a Pierre,David e Wilhlem: porque vocês não brigavam? (Discussões sim mas agressão física não).
A resposta foi bem simples- Porque nunca vi violência em nossa família. Vocês nunca bateram em nós e nunca vi vocês se agredindo ou a alguém.
Aprendi com eles uma lição: não basta você amar seu filho. Você tem que ser o exemplo. 
Sabe o que mais me faz feliz? Ver que meus filhos estão educando seus próprios filhos assim: sem agressão.
Para mim. bater em criança é covardia!"
http://www.jornalasemana.net/outros/fique_sabendo/dia_mundial_contra_a_agressao_infantil/189#.Ua3suTt_-RE.facebook

Bater numa criança é fácil, considerando a proporção de tamanho; difícil é controlar os próprios impulsos covardes e educar pela orientação amorosa, firme e responsável, gerando seres equilibrados que vão aprendendo principalmente pelo exemplo, esse sim, o maior ensinamento.Eu e meu marido criamos e educamos três filhos sem bater e nossos filhos absorveram que nosso maior poder era o mental, o do controle de impulsos primários e da própria força física, em nome de um amor construtivo. Na sua percepção genuína, as crianças sabem que os pais e adultos em geral têm mais força física e se não a usam, merecem muito mais respeito. 


Veja que bacana o depoimento de Heloisa Schurmann, mãe de 3 filhos e avó.


" Hoje dia 4 de junho é o Dia Mundial Contra a Agressão Infantil
Uma das perguntas mais frequentes que me fazem é: seus filhos que cresceram a bordo brigavam muito convivendo em um pequeno espaço de 44 m2 durante os 10 anos no mar? (eles tinham 7,10 e 15 anos quando saímos na primeira viagem)
Intrigada com essa constante pergunta, resolvi perguntar a Pierre,David e Wilhlem: porque vocês não brigavam? (Discussões sim mas agressão física não).
A resposta foi bem simples- Porque nunca vi violência em nossa família. Vocês nunca bateram em nós e nunca vi vocês se agredindo ou a alguém.
Aprendi com eles uma lição: não basta você amar seu filho. Você tem que ser o exemplo.
Sabe o que mais me faz feliz? Ver que meus filhos estão educando seus próprios filhos assim: sem agressão.
Para mim. bater em criança é covardia!
"


Matéria do Jornal da Semana (Clicar sobre)
O dia 04 de Junho é uma data que nos remete a pensar nas crianças maltratadas e violentadas, pois é o “Dia Mundial contra a Agressão Infantil”.
Todavia, combater a agressão infantil não é nada fácil, considerando que muitas vezes a criança ou o jovem não tem coragem de contar que está sendo violentada por razões associadas ao medo, à vergonha ou à dúvida. Sendo assim, reforça-se a importância dos adultos estarem atentos e vigilantes a quaisquer sinais de mudança de comportamento, tristeza ou abatimento.
Em média, 18 mil crianças são vítimas de violência doméstica por dia no Brasil. Os dados, apresentados pela Sociedade Internacional de Prevenção ao Abuso e Negligência na Infância (Sipani), representam 12% das 55,6 milhões de crianças menores de 14 anos. Frente a esta realidade, não há o que comemorar.
O perigo está mais próximo do que se imagina. Dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) mostram que 80% das agressões físicas contra crianças e adolescentes foram causadas por parentes próximos. Ainda de acordo com o UNICEF, de hora em hora morre uma criança queimada, torturada ou espancada pelos próprios pais.
Segundo especialistas, cerca de 70% das denúncias de agressão física contra crianças foram praticadas pela própria mãe, enquanto que o abuso sexual normalmente é praticado pelo pai ou padrasto.
Os tipos de agressão infantil são diversos. Os mais comuns são a violência física, a psicológica e a sexual.
Definitivamente bater não é a melhor solução. O diálogo com a criança ainda é considerado o mais eficaz.Explicar para a criança as consequências de seus atos e como você se sente decepcionado com isso, do que bater nela, além de melhorar o relacionamento com a criança, esse tipo de atitude acaba evitando que ela se torne um agressor no futuro.
Entre as causas da violência infantil está o trauma de quem foi agredido quando criança. Pais que quando crianças foram vítimas de violência doméstica tendem a repetir as agressões em seus filhos.
De acordo com o Centro de Combate à Violência Infantil (Cecovi), outras causas para a agressão são: ver a criança e o adolescente como um objeto de sua propriedade; a projeção de cansaço e problemas pessoais nos filhos; fanatismo religioso; e problemas psicológicos e psiquiátricos. É importante lembrar que a violência infantil está ligada também ao alcoolismo e à falta de limites do agressor, que se não for advertido, vai continuar agindo.
Denuncie
Quem suspeita de que uma criança esteja sofrendo agressão de qualquer forma deve encaminhar a denúncia para o Conselho Tutelar de sua cidade o mais rápido possível.
Se ficar provado que a criança é vítima de maus tratos, o agressor será punido e a guarda da criança passará a ser do parente mais próximo.
No caso de maus tratos, a pena varia de dois meses a um ano.
Se a agressão resultar em lesão corporal de natureza grave, o agressor pode pegar de 1 a 4 anos. Já no caso de morte, o agressor pode ser condenado de 4 a 12 anos.
Para saber qual o telefone do Conselho Tutelar mais perto de sua casa, ligue para o número 100 (ligação gratuita).
Quem vê agressões graves contra crianças, principalmente se são constantes,  e nada faz, acaba sendo conivente e dando mais exemplo de covardia, você não acha? Deixe sua opinião e volte sempre.

6 comentários:

  1. Excelente postagem... Agressão a criança é realmente abominável.
    Beijos Márcia (Rio de Janeiro - Brasil)

    http://decolherpracolher.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ninguém deve fechar os olhos pra isso não é Márcia? Beijos!

      Excluir
  2. pois è Margarete, o exemplo vale mais que mim palavras.
    crianças è para serem amadas, e nao castigas.
    concordo

    baci

    ResponderExcluir
  3. Hola Margaret! Muy bueno tu post. Para mí la persona que es testigo de cualquier tipo de maltrato hacia un niño o hacia cualquier persona y no se atreve a denunciar es un cómplice del delito cometido. En Chile las denuncias son anónimas para evitar represalias. No hay excusas para no hacerlo. Te dejo un cariñoso saludo y mis buenos deseos para este fin de semana que recién comienza!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina!
      Não podemos deixar de levantar essas questões de violência e que o exemplo, bom e ruim têm muito mais força do que apenas palavras que não se sustentam não é mesmo? Ótima semana também pra você.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...