“Somos o que fazemos repetidamente. Por isso, o mérito não está na ação e sim no hábito." ( Aristóteles )


quarta-feira, 6 de junho de 2012

MANTENDO CONEXÃO CONSIGO MESMO


Se quiser a música Paciência ( de Lenine ) enquanto lê o post, clique abaixo:

Desde menina me interesso pelo universo do comportamento humano.
Sou do tipo reservada... observadora.

Penso que uma pessoa não precisa viver todas as experiências para absorver o que precisa  para evoluir como pessoa. A observação imparcial, livre de conceitos pré-estabelecidos aguça e ajuda a desenvolver a percepção sobre si mesmo, sobre quaisquer coisa ou pessoas. E para isso, é importante estar conectado ao seu próprio eixo. Mas como conseguir isso num mundo de tantos apelos para desviar a atenção do que realmente importa? Isso é possível??? Sim, é possível aquietar a mente e se manter em contato consigo mesmo. Cada um pode encontrar o seu próprio canal de silêncio interior. Pode ser caminhar sozinho, ouvir uma música que acalma, ir a um lugar que tranquiliza, ou meditar. Isso, como para tantas outras coisas, também requer exercício frequente e o que no começo pode parecer difícil, com  determinação e o tempo pode se tornar natural.
 "Sentir o momento", liberando-se das angústias e dos problemas fugazes da vida  promove um relaxamento que liberta a mente trazendo  serenidade,  facilitando a inspiração e a criatividade.

Há algum tempo imaginava um jardim japonês na varanda do meu quarto, onde um barulhinho de água pudesse ser ouvido sutilmente num momento de aquietação da mente.
Fui adquirindo os elementos que comporiam este lugar durante um bom tempo. Até que chegou o dia dele sair da imaginação e se materializar. Ficou um cantinho tão delicioso de ficar, que não dá vontade de sair mais dali.  Dê uma olhada...


Fiquei com o corpo dolorido por uns três dias (...será que era falta de exercício???) de tanto carregar sacos de pedrinhas, buda, bacia de cimento, plantas, lanterna...mas valeu muito à pena. 

UM POUCO DA HISTÓRIA DE BUDA
Você pode ter a imagem de um Buda gordo na sua cabeça mas, Buda  Siddhartha Gautama, nome escolhido pelos pais, cujo significado é " desejo satisfeito " e, a despeito de muitas imagens que se vê por aí, era magro.  Foi filho único de um rei   no norte da Índia, próximo ao atual Nepal.  "Buda" é um termo sânscrito que significa "O Iluminado" e não foi uma divindade, nem qualquer espécie de deus, nem um profeta como há em muitas outras religiões.
Buda viveu até os 80 anos e, assim, durante quarenta e cinco anos, ensinou o caminho de vida que ele próprio encontrara. Foi um filósofo, psicólogo e líder espiritual prático e realista. Foi o primeiro a negar o sistema de castas, dizendo que um homem deve ser julgado por suas qualidades e não por seu nascimento. Portanto, contra o forte conformismo de sua época, foi corajoso o bastante para denunciar o rígido sistema de castas da Índia. Foi contra os complexos rituais religiosos daqueles dias; Explicou que todas as coisas estão relacionadas umas às outras pela Lei de Causa e Efeito. 

O Buda gordo vendidos  no Ocidente como criador do Budismo  é um dos Sete Deuses da Sorte de nome Hotei, monge chinês. 
(Imagem de Hotei no templo taiwanês, Bao Jue)
Os sete Deuses da Sorte, da Felicidade ou da "Boa Fortuna" são divindades provenientes da mitologia e do folclore japonês. 
 
Sete Deuses da Sorte (Da esquerda para a direita: Daikoku, Bishamonten, Ebisu, Fukurokyu, Benzaiten, Hotei e Jurojin)
Os japoneses consideram o 7 um algarismo repleto de mistérios, da mesma forma que no Ocidente, onde temos os sete pecados capitais e as sete maravilhas do mundo. No budismo japonês, há a crença de que a alma precisa reencarnar sete vezes até alcançar a iluminação, e que sete semanas de lamentação devem ser seguidas depois de um falecimento. Há também o costume de comer no dia 7 de janeiro o mingau de arroz temperado com nanakusa, as sete ervas da primavera. Arranjos com as sete flores do outono homenageiam a entrada dessa estação. No idioma japonês arcaico, o ideograma que representava a felicidade era formado por três números 7.



6 comentários:

  1. Concordo contigo, todos devem tirar um tempo para relaxar, meditar e ter um tempo consigo mesmo. E este cantinho é demais! Mais lindo pessoalmente. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...e escutasse o barulhinho bom de água né Camila? Bjs

      Excluir
  2. Eu vi ao vivooooo! Só quero emprestado o quarto pra dormir uma noite com meu marido ao som da aguinha. Combinado comadre????Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Combinadíssimo comadre. Quem sabe em julho?????Beijos

      Excluir
  3. Tenho muita curiosidade e sempre leio sobre o budismo.
    Qto a meditação, faço durante a massagem, com música new age e sempre mantendo o foco no que ela está fazendo, tirando de minha mente outros pensamentos.
    Fiz Yoga durante a gravidez de minha filha e a uns anos atrás fiz mais um ano...ainda quero voltar a fazer...

    bjss e boa semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Léia, teu comentário me fez lembrar dos meus três partos, que eu ficava concentrada na respiração e em posição iogue naqueles minutos que se fica esperando a dilatação ideal acontecer...Beijos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...